Escrito por: Claudia MR

Olá galera!! Primeiramente queria pedir desculpas por ter ficado taaanto tempo sem postar. Mas, a escola nunca esteve pior, e ainda por cima quando a escola não atrapalhava, eram minhas dores de cabeça, que só agora fui descobrir que tinha crise de enxaqueca, e comecei a me tratar. Ou era o meu problema de coluna, que eu não conseguia ficar nem cinco minutos na minha cadeira péssima, e ainda estava sem poder jogar algo, ou seja, sem jogo para escrever sobre!
Agora nas férias em que fui para a casa do meu pai, consegui jogar vários jogos, pois a cadeira dele é boa. O problema foi que justo quando eu fui postar, a enxaqueca atacava. Estava complicado...

Minha mãe me comprou outra cadeira, que consegue ser pior que a outra, e a escola continua ruim, mas deixando isso de lado, decidi me esforçar para sentar e escrever sobre os jogos que joguei nas férias!

Escolhi fazer uma análise de The God of Crawling Eyes, um jogo indie feito no Rpg Maker!

História



Você controla um estudante chamado Max, e ele possui um daltonismo forte, onde ele só enxerga preto e branco. No inicio do jogo, ele está no carro com sua mãe que o leva a escola, a mesma diz que ele pode ser capaz de enxergar as cores ao seu modo um dia e Max não parece muito certo disso.

Quando Max chega a escola, é abordado por Chase (aparentemente um amigo), e os dois tem uma pequena conversa sobre os filmes de Horror que Chase assiste.


Max é direcionado a sua sala de aula, e depois de alguns acontecimentos, o garoto passa a enxergar a cor vermelha, e não depois de muito tempo, a sala está com seus alunos mortos, a professora desaparecida, e toda a escola envolvida em uma atmosfera maligna. Max tem apenas Chase e Lily para ajudá-lo.


Jogabilidade e Análise

Ficou meio complicado falar sobe a história deste jogo, já que o destino do mesmo é decidido através de escolhas que Max precisa fazer, e que podem levar a finais diferentes no jogo.
A jogabilidade seria rápida, de em média meia hora. Mas, ficar além desse tempo é fácil, já que como em muitos jogos, você coleta itens, resolve enigmas e vai desenvolvendo a história a medida em que faz isso, e morrer, ou empacar é perfeitamente possível.




Uma coisa boa que o jogo tem, é que as vezes ele já te proporciona dicas bem óbvias sobre o que fazer logo em seguida. Muito cuidado com armadilhas, o jogo possui muitas formas de morrer.

A medida que você joga, a história do jogo vai se esclarecendo. O jogo possui um clima tenso, mas com algumas pegadas de humor.




Os gráficos foram algo que achei muito interessante. O jogo parece ter saído do Paint, e eu acabei gostando muito disso.
A trilha sonora é bem tensa, mas não tem grandes mudanças. O bom, é que ela não chega a enjoar, pelo menos não para mim.
A minha queixa é o fato em que você não pode salvar quando bem entender, só quando o jogo te da essa opção. me atrapalhou um tanto, principalmente em me deixar com medo de perder muito progresso, mas nada alarmante.

No geral, The God of Crawling Eyes é um jogo que conseguiu ter uma história bem desenvolvida e personagens carismáticos usando muito pouco. O curto tempo de jogo, e os gráficos limitados foram muito bem aproveitados. É um jogo que consegue te deixar tenso, sem muitos sustos e exageros.
Vale muito a pena ser jogado!

Até a próxima!

Gostou? Compartilhe:

  1. Caramba, saudades de quando jogava títulos do RPG maker, preciso anotar esse aí. Ps: infelizmente, a escola nunca melhora Ç_Ç

    ResponderExcluir

ÚLTIMAS NOTÍCIAS!