Escrito por: Fernanda Turesso

As pessoas que gostam de video games não sabem da infinidade de jogos de terror que existem de graça espalhados pela internet. Sejam jogos curtos, indies, enormes, caros ou que foram esquecidos, existem muitos e é muito difícil que eles alcancem um número enorme de fãs. Mas, eu, como adoro ficar procurando jogos desconhecidos na internet, acabei me deparando com Which

Criado por Mike Inel há alguns anos, Which é um curtíssimo jogo em primeira pessoa, onde o jogador se encontra dentro de uma pequena e silenciosa casa de dois andares. É um jogo muito simples onde o jogador será apresentado há um lugar totalmente preto e branco. Ou melhor, em tons de cinza e muitas luzes. 

No começo vai parecer bastante esquisito e meio feio, mas com essa atmosfera o jogo consegue passar uma espécie de solidão, tristeza e vazio no jogador. Logo vemos que além do terror implícito, está também o medo de realmente descobrir o que está acontecendo. O medo de se sentir sozinho em um lugar onde existe outra pessoa. É um jogo delicado e fúnebre. Mas não deixando de ter cenas fortes e claro, muito sangue e violência. Não pense que é um jogo voltado só para isso, não, claro que não. Tudo está girando em torno do coração dos personagens. 



A jogabilidade é simples e com o jogo de luzes que é apresentado no começo, o jogador pode ver mensagens escondidas nas paredes. De início aparecem comandos para se jogar e logo depois alguns pequenos indícios de puzzles. Which é um jogo que exige que o jogador faça muitas buscas tediosas e coleta de itens. Apesar de ser bastante curto, ele consegue fazer com que tudo aquilo pareça duradouro.  

O jogo gira em torno de uma entidade bem peculiar. Uma mulher com um buraco no peito em forma de coração e com um detalhe bastante assustador - sem a cabeça - aponta para a parede quando o jogador abre a segunda porta. Na parede mostra que ela quer duas coisas: a cabeça ou seu coração. A partir dai, essa entidade ficará seguindo o jogador até ele conseguir um de seus preciosos pertences, mas não se assuste, ela está apenas acompanhando a trajetória. 



O que preocupa no jogo é o que essa entidade irá fazer caso você entregue o que ela quer. Aquele sentimento triste da atmosfera deixa o jogador meio aflito em tentar descobrir o que realmente está acontecendo. A entidade invadindo a privacidade acaba deixando tudo bastante inquietante e perturbador. Notando-se que ela, volte e meia, fica aparecendo e fazendo barulhos esquisitos, caso se chegue muito próximo dela. 

Conclusão, Which é um jogo delicado e misterioso, possuindo dois finais para que o jogador forme teorias sobre o que realmente aconteceu. É um jogo curto, com gráficos simples e leves, mas que contém uma história bastante profunda por trás de tudo. E o melhor de tudo, é de graça!

Se quiser baixar entre aqui!

Gostou? Compartilhe:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS!