Escrito por: Fernanda Turesso

Dreaming Mary é um dos poucos jogos feitos no RPG Maker que realmente me chamam a atenção. Apesar do tema doce e frágil que são os sonhos, o jogo esconde segredos perturbadores, como aquele leve sonho que temos no início da noite e que de repente se transforma em um terrível pesadelo. 

"Sonhos são a fuga da realidade aplacadora, mas podem ser seu pior pesadelo..."

Um dia, existiu uma jovem menina chamada Mary que amava sonhar. Ela criou histórias maravilhosas e explorou fantásticos mundos. Ela podia fazer o que quisesse em seus sonhos, e ela adorava tanto sonhar que ela desejou nunca mais acordar. Afinal, a realidade é chata e muito assustadora. Quando você vive uma vida assim, você não gostaria de viver profundamente em seus sonhos? 

Dreaming Mary é um jogo curtíssimo e pode ser fechado em apenas meia hora. Diferente dos outros RPG Makers, ele é um adventure em sidescrolling. Ou seja, você só poderá andar de um lado para o outro. Nele o jogador controla a doce Mary e com ela, irá explorar o misterioso mundo dos sonhos com animais que irão te convidar para brincar ou ajudá-los em algumas tarefas. Um desses animais irá lhe propor para entrar mais a fundo em seus sonhos... Mas, será que Mary irá atrás disso?

O jogo abre com um aviso secreto sobre os sonhos, e, em seguida, o jogador começa em um quarto deliciosamente doce e dolorosamente cor-de-rosa. Os comandos são simples e são dados logo de cara para que não se tenham dúvidas. 



Dentro desse pequenino quarto teremos um rádio que conta muita coisa sobre os segredos dos sonhos de Mary. Uma locutora com voz bastante jovem irá sempre falar sobre os animais, sobre objetos, sobre a própria Mary e sobre o mundo dos sonhos. São coisas que o jogador não deve deixar passar e que fazem muito sentido quando finalizado. Infelizmente não há legendas para o rádio e a voz é cheia de ruídos (para dar a impressão de sintonia ruim) e isso acaba deixando muitas coisas abertas (principalmente para quem não entende inglês). 

Continuando, não há lutas ou vida, mas Mary terá algumas pétalas de Lírio como uma espécie de energia. Ela não morre se perder eles, mas eles são essenciais para abrir outros finais. 

Sim, Dreaming Mary contém cinco finais alternativos e a cada final que o jogador for destravando, irá chegar no verdadeiro e um bônus. A cada final que for terminado, será dada a escolha de aceitar ou não seu destino, ou seja, continuar jogando ou parar por ali. Mas, mesmo o jogador continuando de um save novo, ele poderá fazer qualquer final. Não é necessário continuar do mesmo save. 

"Nem tudo é o que parece..."

O jogo é cheio de pegadinhas e mensagens secretas escondidas e se o jogador não prestar a atenção, muitas coisas irão passar batidas. Quando Mary conversa com seus amigos animais, eles falam como se tudo estivesse bem e insinuam coisas em algumas palavras. 



Não possuindo aquele terror estampado, o terror de Dreaming Mary está por trás das coisas. Aquilo que você acaba descobrindo pouco a pouco e se inquietando com certos assuntos que vão surgindo. Algumas imagens e o tom de algumas músicas são tão sutis que fazem com que o jogador fique apreensivo e se sinta desconfortável, especialmente quando tudo começa a mudar de repente.


As cores no jogo, apesar de inicialmente quererem passar uma sensação gostosa e adocicada de um sonho, acaba deixando aquilo terrívelmente triste e vazio. 

E os amigos que Mary tem, parece que eles não são tão amigáveis quanto parecem ser... É realmente assustador se o jogador perceber o que está realmente acontecendo. 

Mas, claro, Dreaming Mary não é um jogo perfeito e ficar interagindo com vários personagens de uma só fez, cansa um pouco. Ainda mais quando se tem que ficar indo e voltando de um cenário para outro e fazer coisas mínimas. Sem contar que se o jogador não estiver no local exato para pegar objetos ou até mesmo dialogar com outros personagens, acaba não acontecendo nada e deixando passar. Isso é um ponto ruim, pois deixa o jogador perdido e sem o que fazer por um bom tempo. 

O jogo começa muito lentamente a transpor as suas reais intenção e os puzzles simplistas não fazem o jogador querer ficar muito tempo ali para descobrir. Os desatentos, que não procuram entrar mais a fundo na história, vão acabar se entendiando por não encontrarem desafios agradáveis. Lembrem-se, história é tudo. 


Dreaming Mary é simplesmente bonito e trata de assuntos pesados no seu interior. Vale a pena dar uma chance, mesmo não parecendo nada nada com terror. 

Gostou? Compartilhe:

  1. Esse foi um dos poucos jogos de RPG Maker que eu fiz todos os finais :3
    Eu achei muito legal esse lance da parte "oculta" dos sonhos, mas eu acho que eles podiam ter deixado com menos finais (Tem uns que só adicionam uma animação de dois segundos ;n;), porque depois de um tempo fica cansativo, e pra abrir a pasta do Bônus você precisa fazer todos eles.
    Mesmo assim, vale a pena fazer todos, porque a pasta explica bastante sobre a vida da Mary e tals.
    Sobre a voz do rádio, só fui perceber na terceira vez jogando uashuahsuahsuhasuhsaha. Eu comecei a ouvir e na hora que ela disse que tinham apenas 3 portas no corredor, eu percebi que tinha uma treta. E depois um dos bichinhos (A raposa, se não me engano) diz pra você ir na última porta do corredor, e que não havia mais nenhuma depois da porta dela. Nesse ponto eu já percebi que tinha a portinha escondida lá, porque quando você passa aparece uma vozi bem baixinha falando "Mary?".
    O que mais me perturbou no jogo, além da parte sombria do sonho, foi a cara que a coelho empregada faz quando você perde o segundo puzzle dela O_O Aquilo me deu muito medo auhsuahsuahshasuhaushusa
    E o que eu gostei muito também foi que depois que você faz os puzzles pra pegar as sementes, aparecem uns "fantasmas" (sei lá o que é aquilo, penso que está relacionada a vida da Mary). E parece que eles estão fazendo a "continuação" do jogo, e vai ser com uma garotinho como protagonista :3
    Desculpa ter escrito um comentário tão grande >.< Nem sei se você leu até aqui, mas essa é a minha opinião sobre o jogo :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aee Pedro, eu sempre leio todos os comentários, principalmente os grandes!

      Então, eu fiz todos os finais, mas me bati pq eu não conseguia achar as chaves. E é, o rádio eu fui perceber mais tarde.
      Os personagens falando e insinuando coisas me deixou intrigada tbm, e na segunda vez eu ouvi a vozinha falando. Mas é tão baixa que a gente nem percebe HIUSHAUISHUI

      E sim, os personagens com cara assustadora me deixaram com medo D:
      Eu acho que quando eles dão a semente pra Mary, eles acabam morrendo. Ai aparece o fantasma deles morto. Tipo o da Coelha era ela se jogando de um lugar alto. Achei bem perturbador D:

      E pois é, eu vi lá no site deles o Blue Dream. Ele apareceu numa parte da Dreaming Mary, tomara que seja tão bom quanto esse! <3

      Excluir
  2. Puxa ok, eu não estava mesmo com interesse mas após essa análise... fora que tava procurando uns games legais de terror para pc e esse blog já me ajudou! Acho que foi que li a análise do ''Fran Bow'' mas senão eu recomendo fazerem porque é um game terrível e bem legal, com ''inocência'' e uma terrível história! Outro que recomendo e que já apareceu aqui é o The Cat Lady, que é meu game favorito!

    ResponderExcluir

ÚLTIMAS NOTÍCIAS!