Escrito por: Fernanda Turesso


Olá queridos, hoje venho trazer uma história escrita por um fã, ele se chama Ed Gálico e nos mandou uma série de creepypastas originais dele para que postássemos no blog. Primeiramente gostaria de agradecê-lo pela ajuda que está dando ao blog e por ser corajoso o suficiente para escrever textos bons e assustadores!
Bem, para irmos adiante, quem quiser mandar sua história ou creepypasta, mandem para o nosso e-mail: videogamesdeath0@gmail.com ou entre em contato conosco lá na página do Facebook e nos mande seus textos! Agradecemos muito a colaboração de vocês! 

O Sinal de Samael 

Ele esta em todos os lugares. Eu o vejo em meu monitor, na tela do meu televisor. Até mesmo em meus sonhos. Tudo aconteceu muito rápido. Eu era um verdadeiro gamer, viciado em jogos de horror, principalmente os que mexiam com o psicológico. As coisas iam bem, e só percebi certa mudança quando em meus sonhos eu comecei a ver aquele maldito símbolo. O símbolo de uma criatura bestial que domina toda uma cidade, que se alimenta do medo dos outros, que engole a alma daqueles que possuem um passado cheio de pecados. Eu via o símbolo disfarçado em meus sonhos. Aparecia nos céus, nas paredes e em outros lugares sem muita importância. Mas eu sempre me lembrava de tê-los visto. O Símbolo de Samael.





Meu jogo favorito sempre foi Silent Hill. Era viciado, já havia jogado do primeiro game até os mais recentes. Até mesmo versões alternativas encontradas na rede. Eu usava o nickname Samael em todos os sites que eu possuía uma conta, possuía livros que tinha o demônio-deus como ponto principal. Era um aficionado pela cidade maldita e seu rei. Mas pra mim tudo não passava de um mero jogo, tudo era uma simples brincadeira. Tudo bem, Samael foi um demônio real a qual varias pessoas cultuavam, mas isso não queria dizer que eu iria ser morto por ele por causa de um jogo. Pelo menos, era o que eu imaginava.

Os sonhos foram ficando piores, uma semana depois eu não tinha mais sonhos, somente pesadelos. Eles começavam calmamente, uma cidade qualquer, um lugar qualquer, e de repente, o chão e as paredes queimam. Um calor imenso, muita cinza e fumaça, mal consigo ver a um palmo diante mim, e quando tudo se acalma, tudo esta diferente. As paredes parecem estar vivas, com sangue e pus escorrendo por elas. O chão são meras grades, e tudo esta terrivelmente escuro. Algo me chama, algo rasteja pelas grades, algo me observa. O sonho começa a me perturbar. Eles passam a afetar minha concentração, prefiro ficar acordado a madrugada inteira jogando, do que dormir e encontrar aqueles sonhos que me sufocam.

Mais uma semana passa, uma semana sem dormir direito, uma semana jogando novamente todos os jogos da serie Silent Hill. Uma semana em que me sinto cada dia pior. É quando, numa madrugada, enquanto jogo, ouço um som que nunca havia percebido antes, em certa parte de Silent Hill 4: The Room. Logo após a morte de Cynthia, quando você retorna para o Apartamento. Eu ouço alguém sussurrar um nome. Conforme vou em direção do quarto, o sussurro aumenta. Alguém chama por um nome. Eu entro no quarto, a tela de carregamento aparece e logo em seguida eu largo o controle. O quarto de Henry esta totalmente diferente, mas estranhamente familiar. Então o sussurro se torna audível. E ele chama meu nome. O quarto no jogo, é o meu quarto. Sinto então como se algo estivesse na escuridão do meu quarto. Na parede um imenso símbolo de Samael feito a sangue surge, das sombras ouço algo rastejar, sinto que estão se aproximando, mas não vejo nada. Me encosto na janela do meu quarto, eles estão chegando, posso sentir o cheiro podre deles, meus pelos se arrepiam, e eu grito. Em poucos segundos meu pai esta no meu quarto, com um taco de madeira na mão. Eu estou encolhido em um canto, balbuciando e chorando. Ao meu redor não há mais nada, não há símbolo algum, não há seres vindos das sombras.


Já faz uma semana desde que isso aconteceu. Uma semana, e as coisas ficaram pior. Não posso dormir, não posso ficar acordado. Em meus sonhos eu vejo aquela cidade. Acordado, a cidade vem ate mim. É ele, Samael, ele esta me chamando. Ele quer minha alma. Agora, enquanto seguro a maior faca que encontrei na gaveta da cozinha, eu compreendo algo mórbido. Eu sei porque Silent Hill muda completamente de uma hora pra outra, sei porque para alguns a cidade é um local turístico, e pra outros é o inferno. Porque ele esta em nossas mentes. Silent Hill é um inferno pessoal que existe em você, e o jeito mais fácil de chegar a ele é através dos sonhos. A faca afiada abre caminho pela minha pele e atinge a jugular, o sangue jorra abundante da minha garganta. Meu corpo cai, sem forças. O jeito mais fácil de chegar é nos sonhos, por isso o mundo muda tão facilmente. Mas o jeito mais fácil de Samael chegar a nós, é através dos games. 

Gostou? Compartilhe:

  1. Gente, que foooda. *U* Ficou muito boa, parabéns pro autor. asdjfasdflasfsa

    ResponderExcluir
  2. Ficou muito bacana mesmo! Curioso que eu tenho uma fanfic de Silent Hill e que fala principalmente do quarto jogo da série, meu favorito! Parabéns pra o escritor e valeu por postar aqui, Morte!

    ResponderExcluir

ÚLTIMAS NOTÍCIAS!