Escrito por: Fernanda Turesso

Olá meus amores!
Hoje eu irei continuar com a parte de história da série Silent Hill. Aqui no blog eu já tinha postado a história do Silent Hill 1, 2 e 4, agora vamos ao que faltava, o 3!

Bem, lembrando que esse texto não é meu e sim pelo Leandro Salmagi Coutinho há muito tempo, acredito que tenha sido feito em 2006, mais ou menos. Então, aproveitem e entendam a história de uma vez por todas!

---------------------------------------

A história começa 17 anos após os acontecimentos de Silent Hill 1. Harry vai embora da cidade de Silent Hill carregando um bebê, Heather, dado por Alessa. Dr. Kaufmann, Lisa Garland e Dahlia Gilespie morreram. Alessa, no entanto, continua viva, subconscientemente em Heather. (Logo pode-se pensar que Alessa "ejetou-se" daquele seu corpo ferido para um novo.). Harry levou Heather e a criou longe de Silent Hill para escondê-la de seu passado. No entanto, algum fanático cultista desconhecido a encontrou e a atacou. Harry acabou atirando nele e o matando. Foi considerado legítima defesa e o caso se encerrou (isso está escrito no documento Douglas's Notebook, em SH3). Até então, Heather era chamada de Cheryl, mas logo teve seu cabelo pintado de loiro e o nome trocado para Heather, para despistar os seguidores do culto. Harry, como é um cara esperto, deu a Heather um pingente com uma pedra vermelha, e mandou que nunca do tirasse. Essa pedra vermelha nada mais é do que Aglaophotis. A mesma substância usada para tirar Samael do corpo de Alessa, no fim de Silent Hill 1. 

Mas então. Dado os dezessete anos dos acontecimentos de Silent Hill 1, Heather, como toda consumista, vai passear no Shopping. Ela acaba caindo no sono em uma lanchonete e tem um pesadelo recorrente. Porque ela tem esse pesadelo? Porque o embrião de Samael está crescendo dentro dela. Daí ela acorda e liga para o Harry. (nessa cena se percebe a relação de pai e filha que eles têm.) 

É quando Douglas, um detetive contratado por Claudia para seguir Heather, a encontra. Mas quem foi e é Claudia? Claudia Wolf é filha de Leonard Wolf, ambos seguidores do culto. Foi umaamiga muito, muito próxima de Alessa. É uma profunda conhecedora do culto e estava junto com Alessa na sua decisão de dar a luz a Samael. Mas ela não soube da história toda. Ela não soube que Alessa se rebelou e acredita que o plano de Dahlia para trazer o deus a vida só não deu certo porque Harry interferiu. Então, ela pretende fazer Heather recordar de quem é (Alessa) e retornar àquele plano de gestar o deus (Samael) com ódio. Continuando. Douglas encontra Heather e a segue. Ele fala que tem um assunto importante para falar com ela, sobre seu nascimento, mas Heather o ignora e vai embora. 
Então ela entra no banheiro e pula a janela para fugir do detetive chato. (Daí ela acha uma submetralhadora com munição infinita, hehehe, isso é cheat do jogo, brincadeira...). Ela dá a volta no shopping, entra por uma porta lateral. (nesse momento já dá pra perceber o silêncio anormal). Chega num corredor com quase todas as portas fechadas, sangue no chão e tal. Entrando numa loja de roupas deserta, Heather encontra uma pistola, e logo vê uma enorme criatura atacando um corpo. Heather mata a criatura no susto e deixa a loja perturbadamente. 

Silent Hill 3 decepciona um pouco com relação à história das criaturas. Diferentes das versões anteriores, as criaturas mal tem uma explicação plausível para sua forma e existência. 

A primeira criatura encontrada, desconsiderando o pesadelo jogável de Heather no início, é o Closer. O livro Lost Memories não menciona o porque de seu formato, nem nada. Simplesmente fala que o nome Closer é dado pois seu grande corpo obstrui as passagens, e que é fisicamente idêntico ao Mandarin de Silent Hill 2. 

Andando nesse shopping, Heather encontra com Claudia. Pergunta onde esta todo mundo, o que está acontecendo. Claudia fala seu nome, e fala aquela frase famosa "They've come to na-na-na the beggining na-nana...". Resumindo, ela fala que “vieram” para testemunhar 

O começo do paraíso rejeitado pela humanidade, e manda Heather se lembrar de quem ela realmente é, Alessa. Então Heather começa a passar mal, por causa do crescimento do embrião e Claudia vai embora. Então o Shopping mergulha de vez no "mundo alternativo"... Quem jogou Silent Hill 1 já nota de cara uma enorme semelhança no aspecto de Cláudia e Dahlia de Silent Hill 1. Ambas de roupas escuras, aparência estranha e falando confuso. 

De onde veio esse "mundo alternativo", se dessa vez não há a Alessa? Lembremos que o primeiro mundo alternativo era feito pelos poderes de Samael e Alessa unidos ao sofrimento de Alessa. Mas dessa vez é diferente, ele é feito em parte pela própria Claudia. Como? Alessa tinha poderes paranormais, assim como Claudia. Quem já jogou lembra de uma conversa entre Cláudia e Vincent. Ele diz a Claudia que esse mundo estranho era fruto da cabeça dela (não, não que seja imaginação, é que é causado por ela). Às vezes é coisado Samael mesmo, pois também há vários momentos em que o ambiente se transforma junto a um surto de náuseas em Heather. 

Nesse mundo alternativo aparecem várias criaturas. Após o encontro com Closer na loja de roupas. Heather enfrenta pequenas criaturas rosadas chamadas “Numb Body”s. A explicação para o seu nome (e é tudo que o Lost Memories diz sobre elas) é que vem de seus movimentos lentos e desajeitados e pela sua aparência de congelada. Logo enfrenta “Double Heads”, cães com a cabeça partida ao meio e faixas no corpo. O Lost Memories diz que eles têm esse aspecto por ser o mesmo de Alessa ao ter sido queimada. E Heather se depara, também, com criaturas voadoras, chamadas de “Pendulum”, batizadas assim por atacarem enquanto a parte de cima de seus corpos roda incessantemente. 

Nesse shopping não acontece nada mais importante. Heather luta para sobreviver, enfrenta um monstro minhoca gigante e com a morte dele o "mundo alternativo se desfaz". (Provavelmente uma coincidência, já que isso não acontece com todo chefão). 

A monstro é chamado de “Split Worm” e deriva da criatura encontrada na escola do primeiro jogo, cuja cabeça também se divide em duas verticalmente. 

Ela foge, encontra com Douglas e o condena por estar do lado de Claudia. Ele fala que só foi contratado e pergunta o que aconteceu. Heather fala que não sabe muito, admite que Douglas pode estar "perdidão" como ela, mas que não consegue ter dó dele, porque foi ele que levou Claudia até ela. Heather reflete que deve ser alguma coisa da qual ela foge e esqueceu a muito tempo, e de repente se lembra de alguma coisa (o que? não dá pra saber). Daí ela vai embora pra estação de metrô, para pegar o metrô da casa dela. 

Nessa estação aparece o primeiro “Insane Cancer”, uma criatura enorme e gorda. Seu nome vem simplesmente da sua aparência. Novamente, os produtores se desligaram um pouco da tradição de se ter um motivo para a existência de cada criatura. 

Na estação não acontece nada de importante. Apenas algumas coisas interessantes como o fantasma de um suicida que empurra Heather na linha do metrô. Mas ele só o faz se lermos um texto sobre a morte dele, e um outro que fala sobre almas penadas, podendo-se imaginar que talvez não houvesse o fantasma, e sim a materialização do medo de Heather de que houvesse um. 

Resolvendo-se alguns puzzles, Heather entra num metrô estranho que quase a atropelou. O metrô a leva a uma estação fantasma. Essa estação está ligada a uma passagem subterrânea, que também não tem nada de importante (somente uma cadeira de rodas jogada no meio do lixo. A explicação das cadeiras eu já dei lá no Silent Hill 1). 

Passando pelo esgoto, atravessa-se um prédio em construção e se chega numa parte realmente importante, o Office Building. Esse prédio abriga vários estabelecimentos como escolas de dança e galerias de arte. Vale a pena chamar a atenção para uma porta (que não se chega a abrir). A porta do consultório psicológico, com três buracos quadrados, a mesma porta pintada num quadro do Silent Hill 1. Creio eu que seja um consultório que Alessa costumava visitar, provavelmente junto com Claudia, e que trouxe certo trauma para elas. Mas isso é especulação. A Konami pode ter tentado só relembrar o primeiro jogo, fazendo um “Easter Egg”. 

Mas então. Andando pelo prédio, Heather chega numa banheira. Ela gira o registro, mas não sai água nenhuma. Então ela começa a passar mal (muito loko esse efeito das manchas correndo!), e o ambiente vai parar no "mundo alternativo". A tela fica preta e ouvimos a voz de Harry Mason (o pai dela) falando uma frase do primeiro jogo, que a cidade estava sendo tomada pelo submundo. Daí Heather acorda. Andando um pouco, antes da porta da sala, nós jogadores, vemos uma pequena foto de um sorriso. Essa foto (creio eu) é de Lisa. (É muito parecido com o sorriso dela naqueles vídeos finais do Silent Hill 1). 

Um inimigo comum neste trecho do jogo é o chamado “Slurper”. Seu nome é esse por causa do verbo “Slurp” inglês, que significa o ato de fazer barulho ao se chupar algo, como sopa numa colher, por exemplo. No português não temos um verbo equivalente. 

Mais adiante Heather encontra com Vincent. Ele reconhece Heather, "Heather... é assim que te chamam agora" (logo, ele sugere que ela tem outro nome, Alessa). Nesta conversa, ele se mostra contra Claudia e Harry, e acaba falando que Dahlia é mãe de Heather. Demonstra, também, admirador desse "mundo alternativo". Então Heather vai embora deixando ele falando sozinho pois percebeu que ele também não era normal. 

Quem é Vincent? Segundo os documentos do jogo, Vincent é um ex-sarcedote do culto. Parece que ele largou o posto por discordar de alguns pontos e também por estar sendo acusado de usar o dinheiro da igreja para fins próprios. Agora ele segue a religião "do seu próprio jeito". E, obviamente, discorda do comportamento de Claudia. Qual é seu plano no jogo? Fazer com que Heather consiga o Selo de Metraton, com Leonard, pai de Claudia, e o use para parar Cláudia e o demônio. 


Mais adiante se resolve um puzzle com base numa história lida por Heather (ou Alessa, mas provavelmente não, pois Heather se lembra razoavelmente bem da história). E também se queima e atravessa um quadro chamado "A mãe de Deus" (Sacou?), que só pode ser visto depois que o lugar todo foi parar no "mundo alternativo". 

Mais adiante, Heather sai do lugar. Tudo volta ao normal depois que ela sai. Então ela vai para casa. (Olha só que coincidência! Heather morava do lado do lugar que Alessa visitava o psicólogo!). Chegando na sua casa ela encontra com Harry morto. 


Segue umas manchas de sangue no chão e encontra Claudia. Ela diz que matou Harry para se vingar por ele ter atrapalhado os planos e também para encher o coração de Heather com ódio. Daí ela fala que quem matou Heather foi o bicho ali do lado e que ela só deu a ordem, e que estaria voltando para a cidade de Silent Hill.(realmente, tem uma parte do "mundo alternativo" que deve ser comandado por Claudia, visto que uma criatura sem dono não obedeceria a ordens). Heather mata o bicho.(chamado "Missionário". Acho que se chama assim por causa de trazer uma notícia: "Bom dia Harry! Você vai morrer!". hehehe...) 

O “Missionary” é descrito pelo Lost Memories como um membro do culto transfigurado pelo poder de Cláudia. 

Voltando para dentro de casa, ela encontra com Douglas, discutem, Heather culpa Douglas por tudo isso. (nesse ponto ele já está se sentindo culpado mesmo). Eles arrumam um pequeno funeral para Harry. Douglas comenta que se sente culpado pela história toda e diz que um tal de Vincent (Lembra-se?), mandou-o procurar um tal de Leonard e lhe deu um mapa. Também lhe entrega o livro que seu pai estava segurando quando morreu. Então eles vão para Silent Hill. No caminho, Heather conta um resuminho, bem resuminho mesmo da história do primeiro Silent Hill, que ela leu no livro do seu pai. 


Chegando em Silent Hill, eles se dividem. Douglas vai para a casa de Leonard e Heather vai para o hospital (PELO AMOR DE DEUS, NÃO ME PERGUNTE POR QUE! Eu cansei de rever os documentos e os diálogos, mas não há nada que justifique a decisão de Heather ir para o hospital. Pode ter sido uma dica que Vincent deu para Douglas. "Olha! Esse Leonard tava internado no hospital" ou coisa assim. Sei lá. Mancada da Konami...). No hospital, é possível ver um vídeo de Heather falando no telefone com uma mulher desconhecida (esqueçam, ela não é ninguém mesmo!). Essa mulher insiste que é aniversário de 24 anos de Heather, mas é por causa de uma complicação na idade dela. 

Olhem o rolo que se deu com as datas. Heather tem 17 anos. Está registrada como Cheryl, logo, tem 24 anos nos registros oficiais. Alessa teria 31 agora (17 de Heather +14 de Alessa em SH1). Mas Heather termina o jogo carregando 38 anos de memória em sua cabecinha (7 de Cheryl + 14 de Alessa + 17 de Heather). Isso fica bem explicado no livro "Lost Memories". 

O inimigo mais comum neste hospital é a famosa “enfermeira”. O Lost Memories diz “devem ser as enfermeiras do hospital transformadas em monstros, mas os detalhes não são claros”.... Bem, acho que o pessoal da Konami não pareceu muito animado em elaborar uma explicação pra elas.... 

Nesse hospital encontra-se vários recados de um sujeito chamado Stanley Coleman. Tudo que se pode dizer é que era um paciente do hospital psiquiátrico, e que escreve recados para Heather conforme explora o hospital. Não dá para se dizer se é alguém de verdade, pois alguém real não poderia prever o encontro com Heather, e nem persegui-la em um ambiente tão anormal. Mas dizer que ele é ilusão, ou algum fenômeno estranho causado por Heather também pode ser errado, já que existem registros dele por aí. Acaba que existe muito pouca informação sobre ele. 

Heather encontra uns documentos falando do sério estado mental de Leonard e chega a entrar em contato com ele. Leonard se mostra indignado com Claudia e disposto a impedi-la, e pede que Heather o solte. Então ela anda pelo hospital todo, resolve vários puzzles, completa um ritual no quarto em que Leonard supostamente deveria estar internado e chega a ele. Então eles discutem, brigam e Heather mata Leonard. 

Que rolo é esse entre Heather, Leonard e Claudia? Trata-se de enganos e desentendimentos. O que Claudia planeja? "Vamos trazer o deus e ele dará o paraíso à humanidade!". Mas Leonard não concorda e crê que o deus deve ser trazido somente para aqueles que o adoram e que se dane o resto da humanidade. Então quando ele se mostrou contra Claudia, era nesse sentido. E Heather pensou que Leonard também queria matar Claudia. Então um se confundiu com relação ao outro, discutiram, Leonard pensou que Heather o tinha enganado, que só estava atrás do "Selo de Metraton" (Leonard, segundo ele próprio, é o guardião do selo, nomeado pelo próprio deus.). Então brigaram. 

Por que ele é tão feio? Segundo o Lost Memories, ele se tornou assim por reflexo do ódio de Cláudia por ele e por efeito do mundo alternativo. Cláudia o odeia por ele ter abusado dela na infância. Vincent sabe disso e comenta com Cláudia no decorrer do jogo. 

Logo depois que ele morre, rola uma ceninha de Vincent e Claudia no Motel (Gente! Nos states, Motel é um hotel de beira de estrada, não é o que vocês tão pensando não...) no Motel onde Douglas e Heather estavam. Claudia reclama por Vincent tê-los mandado para Leonard. 

Voltando tudo ao normal. Heather pega o selo no chão (Leonard morreu, ela pegou o selo...), e volta ao Motel. Lá ela encontra com Vincent, que dá para ela um recado de Douglas mandando-a ir para o Silent Hill Amusement Park. (Essa parte é muito engraçada, porque Heather não entende o recado e o próprio Vincent tem que explicar... E outra coisa. Provavelmente foi o próprio Vincent que formulou o recado. Ele mandou tanto Heather e Douglas para o Parque, para encontrarem Claudia.). 

No parque. Heather tem outra náusea, o parque se transforma no "mundo alternativo", e ela segue. Passa pelos brinquedos estranhos e tal. Num dado momento, surge uma conversa entre Claudia e Douglas. Nessa cena, Douglas se mostra revoltado por ter sido usado por Claudia. Ela havia dito que Heather tinha sido seqüestrada de Claudia... enfim, discutem. Douglas ameaça matá-la e diz que já fez isso antes (matar alguém. Quando ou quem não se sabe.). Heather o encontra ferido. Claudia fez alguma coisa feia com ele, não sei se mandou algum monstro ou foi na telecinese mesmo. Sei lá. Ela decide ir sozinha, apesar da insistência dele. Nessa cena, Douglas toma consciência da importância de Heather para o plano de Claudia e quase a mata. Mas decide confiar nela. 

Mais adiante, Heather entra no carroussel (Para quem não percebeu, aqueles cavalos não estão presos numa haste. Eles estão "espetados" em ganchos de guindaste! Eu já tinha zerado o jogo umas quatro vezes quando eu percebi. Fiquei tendo arrepios durante uma semana...). Nesse carroussel ela enfrenta um monstro chamado "Memory of Alessa". Ele não é Alessa, é só um mostro com a forma dela, criado pelo fato das memórias de Alessa estarem tentando voltar à Heather. 

O carroussel se mostra sendo uma espécie de passagem secreta para o templo do culto. Quando a "memory of Alessa" morre, ela deixa uma escritura no chão. Trata-se de um pensamento que ela teve quando estava no leito do hospital. A escritura demonstra a preferência de Alessa em morrer a deixar o demônio nascer. Mas também fala da sua resistência em morrer... Chegando no templo. Vê-se vários ensinamentos e orações nas paredes e tal. Dentro dele, Heather se encontra novamente com Claudia. Claudia reclama da interferência de Vincent por tê-la mandado ao templo, mas diz que isso não vai fazer diferença. Essa conversa é importante, pois é quando percebemos que Heather recobrou as lembranças de quando ela era Alessa. Ela discute com Claudia sobre a importância e a credibilidade desse "Paraíso". Mas Claudia acaba se mostrando indiferente a vontade de Alessa (uma surpresa, pois até o momento ela só falava em cumprir a vontade de Alessa.) e deixa Heather passando mal. 

Se o jogador entrar no confessionário ele poderá ver uma cena de uma mulher se confessando para Heather. Há quem diga que essa mulher é Claudia, mas eu duvido. A mulher diz esperar ser salva, enquanto Claudia, no final no jogo, diz que ela busca o paraíso para o resto das pessoas, pois ela já está condenada. Logo, não creio que seja Claudia... 

Heather anda por toda a estrutura do edifício. Na biblioteca, Vincent desembucha todo seu plano para Heather. Admite adorar o "deus" (ou demônio), mas diz que não quer que ele nasça. Ele fala para ela da importância do Selo de Metraton e assusta Heather (assusta só, ele brincou) insinuando que aquelas criaturas não eram monstros, e sim pessoas. É nessa biblioteca que se encontra o livro que fala do engano que ocorreu com o nome do "Deus do Paraíso" e o Samael. Heather anda, resolve puzzles, e chega, finalmente, no real quarto de Alessa (aquele do Silent Hill 1 era só parte do Nowhere, e não o real). Resolve-se mais um puzzle e ela se reencontra com Vincent e Claudia. É onde Claudia fala seus planos. Vincent também. Eles discutem, Heather aparece. Claudia fala aquele negócio de não esperar ser salva, e mete a faca em Vincent. 

Neste momento, Vincent grita para Heather usar o Selo de Metraton. Então pronto! Acabou o problema! NÃO!!! Claudia fala que na verdade o selo é pura superstição! Ele não serve para nada! NADA!!! Logo, isso quer dizer que todo aquele trabalho que Alessa estava tendo no primeiro jogo era em vão. Então o nascimento do Samael só foi evitado a primeira vez graças a Harry, realmente. Heather, então, usa o Plano B! Engole o pingente com o Aglaophotis (Putz! Quando ela fez isso eu virei fã de carteirinha do Harry Mason. Que cara esperto!) Até então o jogo não havia dado informação de que o pingente era de fato aglaophotis, somente um documento que fala que a substância também poderia ser encontrada em forma sólida. Então ela vomita o embrião (que na verdade já era um feto, já). Mas Claudia o engole. Ela queria que seu corpo fosse usado para fazer o deus nascer. Daí ela vai para aquele buraco no altar. De repente surge o Valtiel... 


"VALTIEL"! Segundo o Lost Memories, esse personagem foi criado para fazer um elo entre os três primeiros jogos da série. Ele é um anjo que tem o papel de servente direto do deus e também de executor. Ele foi muito idolatrado na cultura de Silent Hill. Tal que o roupão de cerimônia do culto (aquele que Alessa veste) e a roupa do Piramid Head foram baseados nele. Conforme eu já expliquei, Piramid Head era um executor na prisão durante a guerra civil. James estava louco e imaginou que esse executor estava indo atrás dele. 

Mas então. Ele puxa Claudia para o buraco. Heather vai atrás e dá de cara com o deus deformado e com Claudia (ou melhor, as roupas de Claudia, como se seu corpo tivesse vaporizado). Ela mata o deus. Assim como no primeiro Silent Hill, o deus foi perturbado em sua formação. Logo, nasceu incompleto e fraco. Então pode "facilmente" ser morto. Heather lamenta uma última vez a morte de seu pai e retorna para junto de Douglas. Fim! 

O deus, segundo o Lost Memories, nasceu com um rosto de Alessa devido à crença de Cláudia de que o deus de fato se pareceria com Alessa. 

No final ruim, Heather meio que é possuída novamente pelo deus e mata Douglas. Mas não passa disso. É um final pobre em detalhes, eu não gostei. 




Gostou? Compartilhe:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS!