Escrito por: Fernanda Turesso

Olá pessoal! Hoje estou sem ideias para postar algo, aliás, mentira isso. Na realidade estou fazendo um post super enorme e na sexta eu posto aqui, ok?

Então, hoje eu achei no Creepypasta Brasil duas histórias bastante interessantes sobre o jogo Pokémon! Preparem a pipoca e leiam com atenção! 

White Hand

Conhecido como “White Hand”, ele é supostamente um Pokemon deletado do jogo,  roteirizado para aparecer como um dos Pokémon do personagem Buried Alive no ultimo andar da Torre Pokémon de Lavender Town.

É dividido em quatro animações distintas: uma introdução (o "grito" Pokemon), uma inatividade, e dois ataques. Estes ataques são desconhecidos, pois eles são listados como "FIST (PUNHO)" e "BRUTAL".

A animação não chega a ser perigosa, já que a exibição dos quadros do modelo não causam efeitos colaterais. O White Hand é uma mão gigante, suja e decaída, com atenção ao seguinte detalhe: a carne está puxada pra fora do osso, e os tendões do pulso ficam realisticamente visíveis. Quando se usa o primeiro ataque, a mão se transforme em um punho fechado e balança em direção ao oponente.

A animação do ataque "BRUTAL" tem vários quadros de animação ausentes, mas pode se ver que a mão se abre, e em seguida, a animação corta. Depois de alguns segundos, ela reaparece, e se fecha novamente. Nenhum registro foi encontrado sobre esses quadros desaparecidos.

Porém, um dialogo em particular pode sugerir a veracidade da existência do White Hand. Há uma garotinha em frente a torre de Lavender Town que irá lhe perguntar se você acredita em fantasmas. Caso você responda negativamente, ela lhe dirá isso:


Tradução:
- Hahaha, eu acho que não. Essa mão branca em seu ombro, ela não é real.


Buried Alive

O modelo do personagem Buried Alive (muitas vezes referido como seu nome codificado, “Buryman Script”) era para ser enfrentado na história final da Torre Pokémon, até que fora substituído pelo fantasma Marowak. De acordo com os scripts que lhe são atribuídas, o Buried Alive supostamente era o “chefe final” da torre. Assim que você chega ao andar mais alto, a seguinte conversa teria ocorrido com o modelo.

Você está... Aqui...

Eu estou preso...

E eu estou sozinho...

Tão solitário...

Você não quer se juntar a mim?

Depois disto, a batalha se iniciaria. Quando o jogador entrava no "campo de batalha", o modelo de Buried Alive parecia ser um cadáver humano em decomposição, tentando rastejar pra fora da terra. Ele havia sido programado para ter os seguintes Pokemons: Dois White Hans, um Gengar e um Muk.

Curiosamente, um roteiro para as ações de Buried Alive depois que fosse derrotado nunca foi escrito. Caso o jogador o derrotasse, o jogo congelaria.

No entanto, ao perder a batalha, um final específico fora escrito por um programador desconhecido. Nele, o Buried Alive diria: "Finalmente, carne fresca!", seguido por várias linhas de rabiscos.

Ele então arrastava o personagem do jogador para o chão ao redor dele. A cena terminaria com uma típica tela "Game Over", porém, no fundo, uma imagem do Buried Alive devorando o personagem principal seria mostrada.


Especialmente peculiares foram os roteiros escritos para os acontecimentos depois desta cena. O cartucho supostamente baixaria esta imagem na pequena memória interna contida no Game Boy, substituindo a tela do título que, normalmente, aparecia ao ligar o Game Boy. Ao invés disso, sempre que ele era ligado, o jogador se depararia esta imagem, juntamente com o arquivo de som “staticmesh.wav” tocando ao fundo. O objetivo pretendido para este efeito, ao contrário de muitos outros fatores que se conectam a Síndrome de Lavender Town, é desconhecido.

Gostou? Compartilhe:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS!