Escrito por: Fernanda Turesso

Olá meus amores!
A Morte voltou! 

Então, depois de todo aqueles problemas, meses sem entrar aqui no blog e talz, acabei entrando para um outro site, chamado Pixel Inferno, - como já havia dito para vocês anteriormente. Agora eu posto lá a cada 15 dias nas quartas. Então, quando estiverem esperando uma review bonita, terão aqui e lá na Pixel! 

Agora, semana passa eu acabei emprestando o PSP do meu amigo e fiquei jogando horrores de Corpse Party até cair meus dedos!
Então aqui vai uma review bem linda para todos vocês e aguardem para novas surpresas no blog!

Essa review é original da Pixel Inferno e pode ser vista aqui: Corpse Party 

Ainda agredecendo a Cláudia por ter cuidado bastante do VGD e para os demais que estão postando também!


---------------------------------------------------

História

Apreensão e dúvida serão a sua ruína…

Para muitos, Corpse Party não irá passar de mais um visual novel clichê do Japão, onde teremos uma escola assombrada, espíritos malignos e um monte de colegiais gritando e mostrando a calcinha.

Mas é ai que todos se enganam!

O jogo é uma espécie de Silent Hill escolar, com direito há um Nowhere e até mesmo mortes bastante sangrentas.

A história toda se passa nas salas abandonadas e demolidas da escola Heavenly Host, onde habitam espíritos vingativos e onde suas existências corpóreas ficam repetindo a sensação da morte para sempre e sempre. Nesta escola uma série de incidentes ocorreram, no qual, em última análise, quatro estudantes foram seqüestrados e assassinados. E embora isso tenha ocorrido há 30 anos, a festinha dos cadáveres continua até hoje!

Na verdade, tudo começa quando uma representante de classe bastante azarada e que tem propensão em contar histórias de terror para seus amigos, encontra em um site de mistérios, um ritual bastante suspeito. Assim ela comete o erro de invocar um encanto proibido conhecido como “Sachiko Ever After”. Ela faz um talismã que inconscientemente serve como um convite para um outro mundo – um deslocamento sensível para uma escola muito perigosa.


E quando você está convidado para essa festa, você não tem escolha a não ser assistir.


Jogabilidade



Corpse Party é diferente dos demais visual novels. Até porque ele não se restringe apenas em mostrar a história de uma forma animada como a maioria deles. O jogo tem bastante partes jogáveis como qualquer outro jogo de aventura.
Claro, ele é bastante focado no survival, onde temos até uma barra de HP (por mais que seja mínima), e mais ainda no horror, onde podemos nos assustar mais que Resident Evil e Dead Space juntos (vai por mim!).

A jogabilidade é bastante divertida. Sim, teremos que ler bastante, e é isso que faz um visual novel ir pra frente, não é mesmo?
Agora se imaginem jogando qualquer um dos vários jogos de Pokémon. É assim que Corpse Party é. Ele foi originalmente feito no RPG Maker em 1996, então vocês podem imaginar como é a jogabilidade desse magnifico jogo!
A câmera do jogo é sempre mostrando num ãngulo de cima, com personagens pequeninos e bastante meigos. O jogo é bastante simples nos gráficos, não tendo nada de muito para mostrar. Até parece um jogo bem antigo. O que difere nos gráficos, são os desenhos dos personagens na hora das conversas. Cada personagem é muito bem desenhado; suas feições e expressões também são bem representadas.

O jogo, – apesar de sempre mostrar gráficos antigos, bastante pixelizados e digamos assim, feios para nossa época – consegue passar o terror nos personagens por lá mesmo. Poderemos ver cenas de mortes grotescas pixelizadas de um jeito que você nunca viu. E acredite, você consegue sentir o sofrimento de cada personagem, mesmo que não apareça os desenhos animados deles.

Apesar de ser considerado visual novel, o jogo é bastante interativo. Se você encontrar uma pessoa, um fantasma, um objeto ou qualquer pedaço de papel jogado no chão, se aproxime e aperte X para examinar. Em algumas circunstâncias você poderá pegar alguns itens para deixar em seu inventário. Todos esses itens serão usados automaticamente em seus respectivos locais. Seja portas, pessoas, inimigos ou qualquer outro local.
Esse jogo tem muitos mistérios rondando pelo cenário, então, tenha certeza de que você examinou ou conversou com tudo e todos durante várias vezes, pois algumas coisas podem mudar durante a jogatina.
  • Mortos & Memórias
Como já disse, Corpse Party esconde muitos mistérios envolvendo mortes macabras e durante o jogo você encontrará vários cadáveres e em vários estágios de decomposição. Muitos serão só ossadas e raramente encontraremos corpos frescos.
Bem, começando que todos os corpos desafortunados eram de estudantes japoneses, a maioria estará dentro do sistema escolar do Japão. Então, todos estarão vestidos com os uniformes colegiais e estarão sempre com suas identidades (ID name tags), onde mostrará suas idades, nomes e de que escola vieram. Toda vez que você encontrar uma Name Tag aparecerá uma informação no canto superior da tela de que você o conseguiu (isso também mostra a causa da morte deles, quando se está mais aparente. Porque claro, são crianças examinando os corpos, então não terão muitas informação sobre isso). Ao encontrar os Name Tag, eles irão ficar salvos na “Name Tag List”, que estará acessivel no Menu de opções..

Também poderá salvar o jogo a qualquer hora, – já que Corpse Party não é nenhum joguinho curto – quando você precisar dar uma pausa do terror que ronda o colégio mal assombrado, você poderá salvar seu progresso em velas que estão espalhadas pelo cenário.
Uma alternativa mais rápida também poderá ser usada. Você poderá abrir o menu a qualquer hora e clicar na opção “Save & Quit”. Isso irá suspender o seu jogo, você poderá continuar de onde parou, mas aquele save irá sumir logo que você salvar do modo tradicional. Isso facilita bastante para aqueles que não tem tanto tempo de jogar horas seguidas.
  • Ramificações 
Corpse Party tem mais ramos que uma árvore velha e assustadora. A cada decisão que você faz, ele te leva para mais perto de uma de suas muitas terminações. Há um único “final bom” por capítulo – mas também existem incontáveis “finais ruins” durante todo o jogo.
Depois fazer vários finais dos capítulos principais ou extras, você poderá ver os finais que você conseguiu através da Lista de finais, que está acessível no Menu de opções.

Uma coisa que eu gosto bastante em Corpse Party são seus meios de contar as histórias erradas. Quando um personagem morre, você provávelmente não deveria ter ido por aquele caminho ou ter escolhido aquela opção. Mas isso nem sempre é regra. Nessas partes, o jogo mostra com mais detalhes a parada toda. Sempre irá mostrar as imagens dos mortos de uma forma mais dramática e totalmente no estilo guro. Logo, o jogo estará recheado de cenas de morte bastante sangrentas, doentias e bastante perturbadoras (para quem não está acostumado).
  • Os cenários
Como a história diz, a escola assombrada de Heanvely Host sofreu bastante com os terremotos frequentes. E isso fez com que ela ficasse totalmente perigosa. Os corredores tem vários buracos no chão, assim tornando os corredores lugares bastante perigosos por sí só – sem contar nos mortos frescos que podem ser encontrados no mesmo. E como se já não bastasse os espíritos correndo atrás de você.

Uma coisa que nunca sabe é o que encontrará nas salas de aula. Claro, carteiras e quadros negros, provavelmente… Mas, poderá encontrar coisas piores, como cadáveres em decomposição, espíritos malignos ou até mesmo ármarios cheios de cabelos humanos dentro.
Você também terá muita sorte se as portas não se fecharem atrás de você ou se algum espírito querer brincar com a sua vida lá dentro.. Porque quando isso acontece, tema por sua vida.

Mas isso nem é nada… A pior parte de tudo, porém, é que nada parece ficar no mesmo lugar. Você poderia entrar em uma sala de aula e então, ao sair, se deparar e encontrar um lugar totalmente desconhecido. É como se todas as passagens ficassem mudando de um lugar para o outro num constante estado de fluxo. E é ai que podemos lembrar de Silent Hill e o Nowhere!

Trilha Sonora

A trilha sonora da Corpse Party é bastante gostosa de se ouvir. Algumas músicas são meio fora do contexto e lembram bastante os jogos antigos do Megaman, mas, mesmo assim fazem com que você fique bastante penetrado na história. Claro, num visual novel o que mais ajuda são as músicas que dão enfase em algumas cenas.
Mas também os compositores fizeram bem na hora de escolher as músicas para algumas salas. Enquanto você está andando pelos corredores, você ouve uma música um tanto quanto hostil, mas que não deixa você tão tenso, mas ai, quando você decide entrar na enfermaria, uma música aguda toca e deixa o lugar bem mais pesado e sombrio. Sério, você consegue sentir a opressão do lugar te consumir junto com os personagens.

Também há momentos mais obstinados, onde músicas mais pesadas são executadas. Principalmente quando os personagens estão confiantes a progredir em seus caminhos.
Mas o pior de tudo é quando o lugar todo fica em silêncio… Isso sim foi um toque bom para deixar o jogo mais tenso.

E como todo bom anime, Corpse Party tem uma música tema chamada “Shangri La”, que é cantada pela cantora e dubladora Asami Amai. Ela já participou de alguns animes, o mais famoso deles é Jigoku Shoujo, – onde ela dubla a personagem Momota Masako, uma dos subordinados da Enma Ai. – E também faz a voz de uma das personagens principais do Corpse Party, a queridinha Yumi Shinozaki!

Corpse Party também conta com dubladores famosos do Japão, como o Hiro Shimono, que fez as vozes de alguns personagens do anime Baka to Test, Jigoku Shoujo, D-Gray Man e vários outros. Também temos Eri Kitamura que dublou animes como Jigoku Shoujo, Persona: Trinity Soul e Vampire Knight; e também em alguns games: Lollipop Chainsaw, Super Street Fighter e Chaos;Head.  E também uma das mais antigas, Miyuki Sawashiro, que dublou incontáveis personagens desde o começo dos anos 90… Um exemplo dos animes  é: Jigoku Shoujo, Basilisk, Ghost Hunt, Negima!, Naruto, Bakugan, Dragon Ball Z, Persona, Deadman Wonderland, e outros animes bastante famosos!

Corpse Party é um jogo que conta com um elenco muito bom do Japão, assim, fazendo com que você consiga entrar muito mais na história e jogá-lo como se fosse um enorme anime!

Mangá 

Corpse Party conta também com dois mangás, que são baseados no jogo, contando a história de uma maneira mais linear e com muito mais detalhes, – já que não poderemos ouvir sons e nem vozes. O primeiro volume se chama “Corpse Party: Blood Covered”, e foi publicado pela Square Enix; e o segundo se chama “Corpse Party: Musume” que foi publicado pela Media Factory. Os dois foram lançados em 2008.

A história foi escrita por Kudouin Makoto e foi ilustrado por Shinomiya Toshimi.

Enfim, não tem muito o que contar do mangá, ele só foi feito como propaganda alternativa da história do jogo. Pois ele não conta nada de diferente do original.

Mas pelo menos iremos ver dois volumes de puro guro e sangue!

Bom pessoal, espero que tenham gostado!






Gostou? Compartilhe:

  1. É exatamente o que eu tenho no PSP, e no Iphone, muito foda esse joguinho! Legal jogar nas aulas de geo xD

    ResponderExcluir
  2. Isso parece tão foda, queria poder jogar ._. ...

    ResponderExcluir
  3. aaah Kinjiro... esperei quase um ano inteiro pra poder jogar isso ae!
    Sorte que meu amigo me emprestou o PSP, pq, nem tem como emular o PSP ainda... mó mancada isso D:

    Pelo menos agora saiu pra ipad or something!
    dai da pra jogar nele tbm! o/

    ResponderExcluir

ÚLTIMAS NOTÍCIAS!