Escrito por: Fernanda Turesso

Olá fantasminhas! 
Hoje irei falar sobre uma das personagens de Fatal Frame II: The Crimson Butterfly que eu mais gosto. Na real, é o inimigo supremo do jogo todo, nossa querida Sae Kurosawa!



Dear sister... are you leaving me again? 
— Sae para Mio Amakura
Sae Kurosawa, irmã gêmea de Yae Kurosawa, é o mais poderoso e violento fantasma em Fatal Frame II: Crimson Butterfly. 
Sae vivia na vila Minakami (vila de todos os deuses) antes do "Crimson Sacrifice Ritual" ser feito e transformá-la em um vingativo espirito que não sofreu na calamidade. 

"Por trás de tudo..."



Sae nasceu na vila Minakami (vila de todos os deuses) com sua irmã gêmea, Yae. As meninas eram as únicas filhas de Ryoka Kurosawa, o mestre de cerimônias que estava cuidando do ritual na hora do Arrependimento. Embora Sae tivesse nascido primeiro, ela foi considerada a gêmea mais jovem e também a mais fraca, por causa do sistema de crenças da vila. 


Segundo a vila Minakami, os gêmeos não poderiam ter muitos amigos, exceto eles mesmo até quando atingissem a idade certa. Seus diários, anotações e desenhos mostravam que ambas estavam sempre perto dos gêmeos Tachibana, Itsuki e Mutsuki. Sae e Yae, quando fizeram 14 anos, os Tachibana realizaram o ritual do Crimson Sacrifice. Infelizmente, o ritual dos meninos falhou. A responsabilidade, em seguida, caiu sobre as irmãs Kurosawa, que teriam de completar o ritual com sucesso no ano posterior. Não se sabe o quanto os gêmeos foram informados sobre esse ritual. Desde que seu pai se tornou o mestre de cerimônias e Itsuki virou um "Remaining" (gêmeo que sobrevive ao ritual), elas deveriam saber sobre o que o ritual implicava. 


Sae, percebendo que com o tempo Yae iria crescer e viver sua própria vida longe dela, não queria nada mais do que completar o ritual e "torna-se somente uma" no corpo de sua irmã. Yae, no entanto, se opôs ao ritual, acreditando ser um ato cruel e desnecessário. Com a ajuda de Itsuki, ela planejava fugir com Sae. Enquanto Sae e Yae foram submetidas a uma espécie de banho para se preparem para o ritual, o folclorista, Seijiro Makabe e seu aprendiz, Ryozo Munakata, chegaram à vila para realizar uma pesquisa sobre os costumes locais. Ryozo era um velho amigo de Itsuki e prometeu cuidar das gêmeas após a fuga. Os visitantes foram recebidos pela família Kurosawa e foram bem tratados. 


Seijiro tirou algumas fotos de Yae e Sae com a Camera Obscura. Sae apareceu com o rosto terrivelmente borrado na foto e ela comentou que era uma foto interessante. Apesar do caloroso acolhimento dado aos visitantes, Sae e Yae acreditavam que seu pai estava pensando em usar um dos homens para o sacrificio do Kusabi. 
Então elas mostraram para Seijiro um mapa mostrando uma porta lateral que levava para fora da casa e onde tinha uma chave. Elas avisaram a ele que a cerimônia se aproximava e lhe disseram para fugir durante a noite. Seijiro mandou Ryozo ir antes, e ele ficou para trás, em última instância para ser o sacrificio. Antes de sair, Ryozo sussurrou para Yae que iria voltar para ela e Sae na noite da cerimônia. 
Sae refletiu em seu diário que ela e Yae iriam apaziguar o Abismo Infernal com o ritual e assim, impedir que as pessoas sofressem ainda mais.  

Quando chegou a hora, Itsuki levou as meninas para dentro da floresta e mostrou-lhes o caminho para fora da vila. Ele lhes disse para irem em frente e as advertiu a não olhar para trás, mas Sae olhou para seu amigo uma última vez. Yae seguiu seu caminho na floresta sem olhar para trás, enquanto que Sae lutou para manter-se olhando sempre em frente, implorando para Yae não deixá-la. Mas, ela não queria fugir, então, propositalmente, Sae escorregou e caiu duma ladeira, acreditando que Yae voltaria para ajudá-la, de modo que ambas pudessem ser capturadas no último momento e serem forçadas a fazer o ritual. Yae, no entanto, não percebeu Sae caindo e continuou. Uma multidão de aldeões logo pegaram Sae e a levaram de volta à vila. Ela esperou pelo retorno de Yae, insistindo que sua irmã iria voltar para ela.

Enquanto esperava o retorno da irmã, Sae foi ver Itsuki uma última vez antes do ritual. Ele estava no depósito onde ele fora trancado, como punição por ajudá-las a escapar. Ao entrar ela descobriu que Itsuki havia cometido suicídio enforcando-se. Ela chorou e se culpou, dizendo: "Se fosse para acontecer isso... Deveríamos ter feito o ritual". Então ela resolveu completar o ritual sozinha.  Apesar de nunca terem feito o ritual somente com uma das irmãs, Ryokan ficou desesperado com o barulho vindo do abismo. Ele decidiu ir em frente e realizar o ritual com Sae sozinha, esperando que ela pudesse apaziuar o abismo. Em outro de seus diários, Sae pergunta-se se ela seria capaz de se tornar uma borboleta sem Yae. Ainda assim, ela esperava que Yae voltasse a tempo de completar o ritual com ela. 

"Aparência e Personalidade..."


Dizer que Sae é independente seria um eufemismo. Sua vida tem sido incrivelmente solitária, somente com a companhia de sua irmã gêmea Yae. Por causa dela, ela nunca teve de estar sozinha, e, assim, a própria ideia de ficar sem ela - ou sem ninguém - seria impossível para Sae suportar. 
Seu estado de espírito inteirior é dependente da presença de Yae. Isto é, de fato, sua motivação principal parar querer fazer o ritual - era o seu desejo mais profundo, o de estar com a sua a "outra metade" para sempre, e nunca terem de viver o tempo suficiente para que crescessem e assumissem vidas separadas. Isso não era apenas uma obsessão, no entanto. Os sentimentos e desejos não eram apenas voltados para Yae, mas também de todos aqueles que viveram perto dela (como demonstrado pelo seu sentimento em relação a Itsuki) pesam ainda mais forte para ela, e absolutamente, ela não quer ver essas pessoas sofrendo por amor. Que é outra razão pela qual ela desejava fazer o ritual - isso irá permitir que os moradores, que cuidaram dela por toda a vida, continuem a viver pacificamente. Fazê-lo, no entanto, faria Yae sofrer e deixar que isso acontecesse, seria, incialmente, um pensamendo ainda mais doloroso. 


Provavelmente não é de se estranha que, em geral, Sae seja muito tímida. Em público ela é educada, mas calma, sem tirar uma postura muito agressiva em qualquer conversa. Mesmo entre seus amigos mais próximos (incluindo sua irmã), ela tem dificuldade para falar o que vem à sua cabeça. Ela é bem comportada e em circunstâncias normais, ela não gosta de atuar ou fazer qualquer coisa que vá fazer os outros se sentirem mal. Como uma extensão desta, talvez, ela não tenha coragem ou ousadia. Ela é completamente apavorada quando tem de estar por conta própria e assumir o controle. Porque ela passou a maior parte de sua vida em um relativo isolamente das outras pessoas. Ela geralmente é desajeitada em situações sociais. Ela não consegue iniciar ou realizar conversas facilmente com ninguém, exceto com sua irmã, e, possivelmente com Itsuki e Mutsuki. Ela também é muito intimidada por figuras de autoridade ou pessoas muito respeitadas, aqueles que tenham uma posição acima dela. Porque ela é fisicamente muito fraca e por isso, também nunca gosta de jogos que exijam muito de sua energia, embora ela tenha prazer de ver as outras pessoas brincando e jogando. 



Sae sofre de mudanças dramáticas quando retorna como um espírito depois do ritual falho. Ela é, essencialmente, não mais que uma ferramenta de espalhar a ira do Abismo Infernal. A maldição que corrompe os mortos na vila se alimenta de seu ressentimento e confusão em relação a sua irmã, por ela não ter voltado para completar o ritual. Ela é uma encarnação da vingança - em direção à vila por não ter completado corretamente os exercícios das funções cerimoniais, e para a irmã dela, que a deixou para trás. As primeiras impressões de Sae podem ser de uma personalidade excêntrica e de uma capacidade assustadora de ficar insana. Ela é apenas uma sombra de quem era uma vez no passado... Ela é uma sadista psicótica e está completamente perdida em alguma parte de sua mente. Por causa de sua morte, Sae carrega uma poderosa onda de energia negativa e faz o máximo para usá-la, jogando isso nos outros de várias maneiras, seja atormentando as pessoas ou matando a todos que estão em seu caminho. 


Sae é um Yurei (幽霊) (fantasma vingativo) e também é uma Onryo (怨霊) (espírito que voltou do purgatório para vingar os erros de sua morte no mundo físico). Tudo o que motiva Sae é a sua capacidade de concentração curta, sendo geralmente cheia de malícia e com a ideia de que todo mundo tem que sofrer pelo o que aconteceu com ela, os outros gêmeos e a sua irmã. Todos. Na realidade, Sae ficará sofrendo na Malícia que funciona como seu próprio purgatório. Seu único desejo é estar perto de sua irmã. Isso é uma vontade ruim para as crenças dela, já que Sae acredita no budismo e no xintoísmo de sua vila, e que, qualquer tipo de contato físico ou emocional tem que ser erradicado para que os rituais sejam eficientes. Pois quando uma pessoa está presa há várias emoções (seja materiais ou por alguma pessoa), seu espírito ficará preso na Terra para sempre. 


Como Yae tentou fugir da vila sem completar o ritual, Sae tentou completar o mesmo sozinha, pois ela é muito crente nas ideias da vila e também é bastante dedicada à sua "causa", então decide compensar os aldeões com o dever de ser uma Shrine Maiden. Sae tem muito medo de câmeras. Com toda a razão, já que a Camera Obscura é a principal arma de Fatal Frame. Essa câmera desgasta a alma dela e simplesmente a deixa muito desesperada. No entanto, Sae não fala o porque que as câmeras a deixam com medo. Naturalmente, talves porque Sae tenha muita energia obscura ela não possa combater a energia branca da câmera. Ela frequentemente menciona o Makabe, chamando ele de "Makabe-san", de tempos em tempos. Isso porque, Seijiro Makabe (O Kusabi) foi um sacríficio falho, que foi jogado no Abismo Infernal na mesma noite. Ele saiu juntamente com Sae, depois que ela foi morta, então, esse espírito está ligado à ela. Sae também tem uma forte ligação com ele, pois ela não tem o controle total sobre ele. Ao contrário de Sae, Makabe não tinha ideia de que ela estava morto ou não.


Sae tem os cabelos curtos na altura dos ombros e são da cor preta. Ela tem uma franja que fica só por cima da testa logo acima das sobrancelhas. Seu espírito veste um kimono ensanguentado e tem uma marca de corda em seu pescoço. Seu kimono está dobrado do lado em que os japoneses vestem os mortos na hora do velório, que é sobreposto na esquerda. 


Sae é o espírito mais poderoso do jogo, seu ataque é sempre direto. Mas, se ela vê as gêmeas, ela irá possuir a mais fraca e tentar persuadir que elas completem o ritual do Crimson Sacrifice. Para isso, ela utiliza de alucinações, aquelas que normalmente giram em torno dos assassinatos que ela mesma cometeu e os do ritual falho. Ela aparece em duas formas. Um é o espírito vingativo vestido com o kimono ensanguentado e o outro é o espírito triste e se culpando por tudo com um kimono branco. 


Curiosidades


- Sae tem vários nomes quando se tira fotos dela durante o jogo. Pode ter o nome de "Bloody Kimono", "White Kimono" ou "Weeping Woman". 
 - Ela pode ser encontrada na casa dos Kurosawa, na casa dos Tachibana, no Abismo Infernal (como último boss) e em várias outras aparições pela vila.
- Em Fatal Frame II: The Crimson Butterfly, temos um capítulo chamado "Sae" (o sexto capítulo), que é inteiramente feito para ela. Onde temos que fugir o tempo todo, pois se formos encostados, morremos.
- Como já disse, ela é o segundo espírito que mata instantaneamente com um toque (o outro é o Kusabi). 
- Em Fatal Frame I, Yae compartilha da mesma morte que a irmã Sae, já que ambas foram enforcadas (pois Yae se suicidou). 

Sae e Yae na foto tirada por Makabe

- Com já foi dito, Sae tem medo de câmeras. Por isso que quando Makabe tira a foto das gêmeas na casa dos Kurosawa, Sae vira o rosto (e assim ele sai borrado na foto). 


Bom, é isso pessoas! Espero que tenham gostado do post! :3



Gostou? Compartilhe:

  1. Adoro seus textos morte, Você explica muito bem as coisas a Serie fatal frame tem muitos fantasmas e suas historias precisam ser contadas continue fazendo o que você faz de melhor que é digitar seus textos (com muito carinho Vinicius)

    ResponderExcluir
  2. Uma dos melhores jogos que já joguei e zerei, e um dos mais assustadores também. Embora ele não tenha realmente me deixado com medo, sua emoção, sua carga dramática, sua ambientação, violência e dor o fazem um game muito assustador e marcante para mim. Já li que quando Mio mata Mayu no fim verdadeiro, isso acontece porque ela foi possuída pela parte de Yae há muito tempo perdida ali (e que deve ser a mulher chorando, logo no início quando Mio entra na vila) e que queria ficar com a irmã e completar o ritual. Seria por isso na minha opinião, que ela está em profundo estado de choque e não se lembra de nada quando encontra com Ryozo depois e fogem da vila. Há também uma teoria de que Mio e Mayu são reencarnações de ambas. O final bom na versão especial do game na verdade conota isso, embora eu mesmo não acredite.

    No FF3, há um momento em que se você tirar uma foto da Mio, vemos Mayu atrás dela! Assustador... E incrível!

    ResponderExcluir

ÚLTIMAS NOTÍCIAS!